Descompressão tubular minimamente invasiva

É uma técnica microcirúrgica utilizada para descomprimir os nervos da coluna através de pequenas incisões na pele.

 

 

 

 

 

 

 

 

Em quais casos está indicada essa cirurgia?

Possíveis candidatos a essa técnica são pacientes que apresentam HÉRNIA DE DISCO, CISTO SINOVIAL ou ESTENOSE DO CANAL VERTEBRAL que estejam causando sintomas devido à compressão sobre os nervos. 

HÉRNIA DE DISCO LOMBAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTENOSE DO CANAL LOMBAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CISTO SINOVIAL LOMBAR

 

 

 

 

 

 

 

 

HÉRNIA DE DISCO OU ESTENOSE FORAMINAL CERVICAL

 

 

 

 

 

Descompressão tubular minimamente invasiva cervical

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os sintomas da estenose, hérnia de disco lombar, ou cisto sinovial que podem ser tratados com microdescompressão tubular minimamente invasiva são:

 

  • Dor na perna: dor que inicia na região da coluna lombar que se irradia para a perna, até o pé.

  • Perda de força na perna ou no pé.

  • Perda de sensibilidade na perna ou no pé.

  • Formigamento na perna ou no pé.

  • Dor nas pernas, formigamento e falta de força quando o paciente fica em pé ou caminha.

 

Nos pacientes com hérnia de disco ou estenose da coluna cervical podem apresentar os mesmos sintomas no pescoço irradiando para os braços.

 

 

Como funciona a cirurgia?

A descompressão tubular minimamente invasiva geralmente é feita sob anestesia geral (paciente dormindo), mas em alguns casos pode ser feita com raqui-anestesia ou até mesmo anestesia local assistida.

 

O paciente é posicionado de barriga para baixo. Após o cirurgião prepara o local da cirurgia com produtos anti-sépticos e o local da descompressão é identificado com o uso de raio X. 

Uma pequena incisão de cerca de 1.5 a 2cm é feita na pele. Através dessa incisão, o cirurgião posiciona o afastador tubular sob o local a ser descomprimido (sempre confirmando com o uso de raio X). 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diferença no acesso à coluna entre a técnica de descompressão aberta e tubular minimamente invasiva.

 

 

 

Com a utilização de microscópio neurocirúrgico, inicia-se a descompressão do(s) nervos na coluna:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pela mesma incisão, é possível realizar a descompressão de até 3 segmentos.

 

 

Após feita a descompressão, realiza-se sutura da incisão e o curativo.

 

 

 

 

E depois da cirurgia?

 

- O esperado é que o paciente acorde da anestesia sem a dor na perna / ou no braço no caso de estenose cervical.

- Em geral, o paciente tem alta hospitalar após algumas horas de recuperação da anestesia (geralmente 3-4 horas). 

 

- Nos primeiros 5 dias após a cirurgia a maioria dos pacientes toma apenas medicações simples (anti-inflamatório, analgésico simples e relaxante muscular) para controle do desconforto na região da incisão.

 

- O curativo é trocado pela primeira vez após 2 dias da cirurgia, e após é trocado 1x ao dia até o dia da retirada dos pontos ou por 10 dias quando a sutura é feita com fios absorvíveis.

 

- O retorno ao trabalho varia de paciente a paciente (dependendo da profissão, etc). Isso será discutido antes da cirurgia.

 

- Em geral a maioria dos pacientes tem liberação para voltar aos esportes em 3-4 semanas.

 

Quais os benefícios da descompressão tubular minimamente invasiva?

 

 

- Mínimo trauma tecidual.

- Não necessita internação hospitalar.

- Rápida recuperação.